Um blogueiro perdido no gameway of life

Hoje havia a gameway – pretensa maior feira de games do Brasil. Não é que, ao chegar em casa, cansado da prova, o Danilo me convida para irmos com o Iuri? Daria um post…

Lá chegando, começamos pelo Museu dos games. Fila pra tudo! Até pro museu. A galera da tecnologia não gosta só de futurismo. Pera aí! Museu? Desde quando o N64 é peça de museu? Eu ainda jogo Mário Kart 64. Acho que, pela primeira vez, me senti, de verdade, um velho. E isso dá um certo orgulho. Mas, pô, museu com as coisas do meu tempo é exagero. Ou será que em tempos de rápidas mudanças, impostas pela produção cada vez menos tardias de tecnologias, 10, 20 anos é realmente motivo para os produtos se tornarem peças de museus? Não duvido existir alguma teoria acadêmica sobre a “nova museologia” tratando disso.

A essa altura do campeonato eu já estava com o bloquinho na mão, pagando de jornalista. Mas, como eu não era um, peguei a fila do Wii. Não era pequena. Pelo menos estava passando a final Pró-Evolution Soccer nos telões. E que jogão! O time de branco, depois eu descobri que era o London F.C., estava dominando o jogo. Excelente marcação e muita objetividade nos ataques. A fila andou. 1×0 para o London. Andou mais um pouco. O jogo estava muito trancado, os dois times marcando muito forte, sem faltas, coisa de profissional. O narrador era irritante. Depois descobri que ele era o menos pior. Quando meu palpite no Longon ganhava confiança, o Barcelona vira o jogo e surpreende com grande domínio de bola. Com muita tranqüilidade, o cara ficou administrando o jogo até o apito final. Quando este chegou a tranqüilidade deu lugar à euforia. E à arrogância. Ele saiu pulando e gritando “EU SOU FODA”. Hilário ele sendo entrevistado por uma dezena de jornalistas. Pintou uma vontade de ser um deles. Passou logo.

Gente de tudo quanto é cor e classe e gênero. Incluindo-se, claro, os GLS et all. Gamers sem preconceito. A entrada era econômica, 15 mangos. Até uns fantasiados de personagens (de jogos) se faziam presentes. Será que eles andam cotidianamente com aquelas, hã, roupas?

Viajando, quase perdi a vaga quando chegou minha vez. O jogo era de Tênis, no Wii. Pra quem não sabe, Wii é um vídeo game cujo controle sente o movimento das suas mãos. No caso do Tênis, ele se tornou uma raquete. Que eu perderia para aqueles garotinhos com quase metade da minha idade não era novidade. A surpresa foi quando uma jornalista da RBS se meteu no meio do jogo pra me fazer perguntas. Queria me induzir a dizer que me sentia o “novo Guga”. Só me fez perder um precioso ponto, com o qual eu ganharia facilmente do garotinho (¬¬).

A sensação da Feira era, realmente, esse Wii. Como seria jogar boxe? Fomos para a fila. Enquanto isso as candidatas à “Gata Gamer” se apresentavam no palco. O disputadíssimo concurso era do tipo se você for vice, então ficou em último lugar. Ou se você ficou em penúltimo, ganhou. A emo de 16 anos contra a metaleira de 13. Além de desfilar, deveriam responder perguntas sobre um jogo de sua escolha. Adivinha o jogo escolhido pela emo? Não, não era The Sims hehehe Ela escolheu o Mário, e sabia que ele tinha uma pena. Menos mal: ela, de certo, jogava o Super Mário 64, que é mais feminino. Já a metaleirinha escolheu o Guitar Hero. A pergunta era “quem é o guitarrista do Rage Against the Machine?”. “Ai, é um parecido com o entregador de pizza do GTA…”

Eu já estava cansado, mas o Doc insistiu entrar na fila do Guitar Hero. Que jogo mais chato! Fiquei lá resmungando críticas ao jogo, enquanto aqueles repórteres bizarros ficavam narrando os jogos, tentando agitar a adrenalina dos geeks. Uma entrevista pior do que a outra. Só ouvi ele gritando: alguém aqui no “Guitar Hero sabe tocar guitarra de verdade?”. Não sei se era impressão minha, ouvi a voz do Iuri falar no meu inconsciente “ELE É FERA!!”. Puts. O cara veio me entrevistar: “Então você manda bem no jogo e é mesmo fera guitarra?”. – “Não”. “Se você não é guitarrista, então é o quê, pastor?”. Todo mundo que usa terno é pastor? Que cara mais idiota. Deve ter me achado antiquado ou coisa assim. Devia se achar moderninho com seu style emo-estagiário-de-jornalista. Era gordo, ainda por cima. E fazia imitações sem graça.

Espertas eram as criancinhas que deixavam suas mães nas gigantes filas. As duas candidatas, digo, as duas finalistas subiram novamente ao palco. A metaleira ganhou o título de Gata Gamer!!! Será que ela vai contar aos seus pais?

Não longo do esperado, o Guitar Hero era muito chato. Mas o Doc saiu feliz. O Iuri também: 2×0 para o São Paulo sobre o Flamengo. Esperava mais do Game Way e menos dessa tarde de domingo ao lado de grande amigos. Bom consolo pra quem não fez uma mísera questão da prova de matemática do Teste ANPAD.

Anúncios

4 Respostas to “Um blogueiro perdido no gameway of life”

  1. Hugo Says:

    É incrível que por mais que existam PCs pra lá de potentes, o videogame fica na frente em jogabilidade e fidelidade.

    Leandro, tu não tens naipe de jornalista. O teu lugar é na linha de frente da infantaria tomando partido do que tu consideras certo.

    obs:. Não que um jornalista não possa fazer isso, mas é que…=)

  2. Iuri Says:

    É verdade, colocar N64 no museu foi uma atitude meio radical, já que está a apenas 2 gerações atrás dos atuais. Mas é de se pensar, pois produtos tecnológicos tornam-se obsoletos tão rapidamente que 15 anos já torna-se tempo suficiente para torná-los peças de museu. Mas absolutamente ninguém parou para ver o N64, já que quase todos os que participaram daquela feira devem ter visto um na vida. Já o Tele-jogo Philco nem eu havia visto de perto! Hehehe
    Na verdade eu só falei que EU era bom na guitarra, pois não havia percebido que o mala pseudo-jornalista-emo-estagiário-corinthiano-masoquista estava do nosso lado. Aí ele pensou que tivesse sido você a ter falado!
    Boa coluna! Abraço.

  3. Doc Lee Says:

    Nintendo 64 É MUSEU sim. Não é por que tu ainda joga Mario Kart 64 que a história vai mudar. Eu ainda jogo F-Zero, mas isso não faz o SNES menos arqueológico. Diabos, o N64 foi lançando em 96 (NOVENTA E SEIS, senhores), daqui a pouco tá debutando.

  4. Rafael Lopes Albano Says:

    Só faltou citar que encontrou seu grande amigo (eu) rafael lopes çá

    hahhahaa

    abraço Leandro . .. ótimo blog

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: