O controverso fenômeno PMDB

Abaixo uma pequena crítica feita ao comentário do excelente jornalista Pedro Dória.

Receio, Pedro, haver em seu comentário uma confusão entre o local e o nacional. Quem votou em Fogaça o fez contra Maria do Rosário. Isto serve para outros municípios. Se você falasse que quem votou em Pedro Simon alimentou o poder de Sarney (ok, este não foi um bom exemplo, porque Simon votou em Tião,  mas enfim quem votou nos Deputados Federais e Senadores do PMDB), aí tudo bem. Quero dizer: o PMDB tem peso no congresso não pelo número de municípios que governa. Aqui em Santa Catarina, desconheço quem apóie Sarney, e no entanto aprovaram os governos pmdbistas de Dário Berger e de LHS. A relação entre os votos populares e a eleição no Senado não é nem um pouco assim direta. A primeira requer, sim, popularidade. Já à segunda basta cacife interno, exatamente o que restava a Sarney.

E já que Daniel Piza também aproveitou o momento para comentar sobre o PMDB, eu tomo carona no embalo:

Seu artigo, Daniel, traça elementos simbólicos importantes do PMDB. Só faço duas ressalvas. A de que o PMDB, no interior desse brasilzão, muitas vezes representa as classes mais pobres, em vez das oligarquias. E a de que Sarney, quanto à isso não restam dúvidas, não é confiável, para ter certeza de que apioará Dilma Rousseff. De outro lado, não vejo maneira de Tião não apoiar justamente a candidatura do seu partido.

Anúncios

6 Respostas to “O controverso fenômeno PMDB”

  1. Pedro Doria Says:

    O problema, Leandro, é que é a política local que sustenta a nacional.

    Se políticos locais, ainda que bons, não são punidos pelos eleitores por pertencerem a um partido como o PMDB desde o início de suas carreiras na vereança e por aí em diante, o PMDB nacional continua forte.

    É muito fácil ser do PMDB e dizer ‘sou diferente’. Não é. E isso vale até para o Simon. A estrutura que mantém seu poder é fundamentalmente corrupta.

  2. Leandro Damasio Says:

    Concordo com o seu raciocínio. Mas você sinceramente não acha um tanto refinado para o eleitor comum? Cada vez mais, ouço pessoas que votam em pessoas e não em partidos… Essa punição relacionada à visão partidária não seria um pouco utópica?

  3. Joao Paulo Says:

    Venceu sim! :)

    Abração!

  4. diego Says:

    haha

  5. diego Says:

    falem-me dos castelos

  6. Leandro Damasio Says:

    Não confio neles. Confio na gente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: