Ciência

Tanta coisa nova acontecendo e, infelizmente, não as tenho registrado. Acho que todo curso de mestrado costuma ser corrido, com pesadíssima carga de leitura. Na FGV não é diferente; muito pelo contrário. Na semana passada houve a aula magna com o presidente da SBPC. Pouca gente sabe de que trata. É a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que no estilo da sua versão americana, é uma entidade social que, formada em grande parte por cientistas, debate e defende as políticas para ciência e tecnologia.

Há não muitos anos aconteceu em Florianópolis a 58º reunião da SPBC e foi gigantesca; ocupou todo o campus central da UFSC. À época, fui monitor, quer dizer, o rapaz que vestia um colete verde-limão ridículo e cuidava dos aparelhos de uma sala com palestras de mecânica de fluidos (ou algo do gênero). Esse trabalho, ora entediante, ora intrigante, de ficar assistindo os engenheiros (que conheciam de retroprojetor bem melhor do que eu) e seus respectivos cálculos e teorias, me permitiu assistir a toda programação científica, inclusive participar de um mini-curso de sociologia econômica, que, eu diria, muito contribuiu para meu pensamento econômico.

Voltando ao assunto da aula magna, o presidente fez o papel institucional, defendendo e justificando a Sociedade, e durante essa argumentação, desenhou o trajeto histórico das grandes instituições científicas brasileiras. Dentro elas, incluam as maiores universidades, o BNDS, a FINEP. Interessante notar o correlação entre a reforma universitária do período militar, pondo fim ao sistema catedrático em detrimento de departamentos. Isto vai dar uma boa discussão! Digo: uma discussão do ponto de vista da gestão universitária, tanto em sua relação de eficiência como de ambiente para a ciência, um ambiente que envolve certamente toda uma tradição. Principalmente em ciências mais clássicas e puras, como Física, Biologia.

Há muita mais história política por trás da ciência do que se poderia previamente imaginar. Tudo porque há uma clara função social da pesquisa e da publicação científica. Alguns blogs mostram como, em Portugal, a divulgação científica é debatida. Um assunto quase despercebido por aqui. Quem se preocupa em transmitir o conhecimento científico para o público não científico? Lembro que a Super Interessante cumpria um pouco essa tarefa. Mas há outras mídias. Evidentemente, aproximar a ciência da sociedade não é somente para as crianças. Mas também para o setor empresarial, que cada vez mais necessita das tecnologias e ciências acadêmicas. Esse assunto já é batido para quem estudou em Florianópolis, tantas são as incubadoras e cursos tecnológicos. Para “agravar”, tive aula de governo eletrônico com o criar do Portal Inovação. Não é novidade pra ninguém esse “boom” tecnológico em Floripa, um assunto que certamente merecerá outros posts.

2 Respostas to “Ciência”

  1. iuana Says:

    Adoro ler tuas reflexoes. Depois de Reinaldo Azevedo virá outro…
    o maior blogueiro do Brasil…Leandro Damasio.
    Sentimos sua falta por aqui. Saudades. iu

  2. jP Vergueiro Says:

    Tão te comparando com o Tio Rei?? Meu amigo, você tá com tudo mesmo! :) Talvez eu esteja na GV antes do que imaginemos!! Abração

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: