Vacas magras

Ninguém morre de simpatias pelos economistas e seus cálculos videntes. Entanto, há boas razões para acreditá-los, ao menos em parte, de razão. Por mais que suspeitemos de seus métodos, e por mais que nos seja impossível questioná-los, é o que temos para ler o mundo econômico. Sim, este argumento soa como “melhor um pássaro na mão do que dois voando”. E não é justamente o senso comum, desprovido de qualquer rigor metodológico, que guia nossas convicções mais profundas?

O que me traz a refletir, mais uma de tantas vezes, sobre os fundamentos da economia, é que este blog acertou uma previsão. Como um economista, ele arriscou um chute no escuro, ainda que fosse a menor das possíveis escuridões. Vejam em posts anteriores. Há muito tempo venho insistindo na idéia que o Brasil estava numa profunda crise econômica. Ora, quem sou eu para prever o futuro da economia? Ninguém. Mas…

Não precisa ser economista para interpretar os indicadores. Embora análises e opiniões favorecessem as versões otimistas, os dados estão disponíveis. E isso me despertou definitivamente a importância do jornalismo econômico. Está tudo lá! Quanto mais rápido as informações sobre indústria, taxa de juros, inflação, PIB, desemprego…

Como se não houvesse desaceleração do turismo de carnaval, grande parte dos brasileiros negava a crise. Findou-se a desconfiança, dada a retração oficial do PIB em 3,6%. Amigos, façam o esforço de imaginar toda riqueza de um país do tamanho do Brasil despencando 3,6%.

Assustador.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: