Ronaldinho

Os fatos levam a crer que, para infelicidade dos apareciadores do futebol-arte, não veremos o par Ronaldo (gordo) e Ronaldinho (gaúcho) bailando nos campos africanos da próxima Copa do Mundo. Cada jogo da seleção verei com imensa saudade deles. Se a taça não vier junto com Dunga para este lado do Atlântico, motivo já o tenho para reclamar.

O elástico de Ronaldinho apresenta duas características próprias, que o elevam em beleza única. É preciso observar, em primeiro lugar, a distância percorrida pela bola presa aos seus pés: não se compara a nenhuma outra jogada semelhante. A forma como ele carrega a bola para a direita e a extensão com que sua perna vai para o lado conferem toda falsa certeza ao marcador, que decide marcá-lo indubitavelmente naquela direção. Mas além dessa característica, que por si só supera todos os elásticos jamais visto no futebol, Ronaldinho se apresenta como uma fera preste a dar o bote. Vejam o impulso de seu corpo. É como se ele tivesse se atirando para cima do adversário. É como se um Gorila robusto e feroz estivesse saltando sobre a presa. Toda a força com que seu peso é jogado para frente lhe garante uma velocidade infalível no momento de puxar a bola para a esquerda. Nesse instante, é lógico, o adversário, perplexo, ainda está pensando em marcá-lo no lado errado. Ilusão e medo juntos são dois ingredientes da proeza que é esse elástico.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: