Buzina

Outro dia, aqui perto, um carro olhou para o outro e disse bããããããããã. Nessa conversa entraram outros vários automóveis, incluindo moto e caminhão. Assim os carros andam pelas ruas: tagarelando seus buz-buzes, às vezes cantarolando em solidão, só pra aquecer a voz.

Não gosto quando o som da buzina é transcrito assim: “buzzz”. Porque esse “z” não existe. A buzina termina no “ã” e ponto terminal. É uma nota de sax desafinada, corta e encerra no agudo cerebral sem perdão, mas saxofone é um instrumento perigoso.

Por mim já não existiria mais buzina nos carros: seria uma peça ilegal e o portador, multado senão apreendido. Ah, Jeremy Bentham! me tira dessa. Você conhece alguém que, atravessando a rua, teve a vida salva pela buzina? Eu não.

Ao pedestre não há nada mais indefensável do que o barulho de uma buzina; ao piloto não há nada mais acessível do que a própria. Um botão gigante na frente do rosto, implorando, como um brinquedo: push me please! A velhinha aqui da esquina nunca passa pelo farol sem buzinar para algum rapaz, e a primeira coisa que uma criança faz, ao entrar num carro, reparem, é isto que vocês estão pensando.

Tirem as buzinas da cidade que a gente vai ouvir no horizonte uma charmosa sirene de ambulância.

Outro dia, aqui perto, um carro olhou para o outro e disse bããããããããã. Nessa conversa entraram outros vários automóveis, incluindo motos e caminhões. Assim os carros andam pelas ruas: conversando com todo mundo, às vezes até cantando em solidão, só pra não perder a voz.
Por mim, já não existiria mais buzina nos carros: seria uma peça ilegal e o portador de buzina seria multado. Ah, Jeremy Bentham! me tira dessa. Vocês conhecem alguém que, atravessando a rua, teve a vida salva porque o motorista buzinou? Eu não.
Dentro de um carro, não há nada mais acessível para o piloto do que a buzina. Um botão gigante na frente do rosto, implorando, como um brinquedo, para ser apertada. A primeira coisa que uma criança faz, ao entrar num carro, é isto que vocês estão pensando.
Tirem as buzinas da cidade, e a gente vai ouvir no horizonte uma charmosa sirene de ambulância.

3 Respostas to “Buzina”

  1. Dhago Says:

    Tenho uma proposta melhor do que simplesmente tirar a buzina…. vamos afinar a nota, colocar um som mais melódico…. quem sabe ???

  2. Leandro Says:

    Tipo transformar o tédio em melodia?

  3. Fê Papa Says:

    Ei L,
    essa me fez lembrar uma do Drummond:
    “Stop
    a vida parou
    ou foi o automóvel?”
    Que massa o seu blog, uma maravilha nos intervalos de trabalhets da GV :)
    bacio!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: